10 mais fascinantes ruínas de Pompeia

Poucos sítios arqueológicos oferecem uma experiência de viagem mais imersiva do que as ruínas escavadas de Pompeia, a sudeste de Nápoles, na Itália. Em 79 dC, o vulcão Vesúvio entrou em erupção, cobrindo a cidade romana com 12 metros (40 pés) de cinzas finas, que preservaram a cidade soterrada e seus moradores asfixiados intactos por quase 1700 anos. Escavações contínuas iniciadas no século 18 revelaram uma riqueza de artefatos e também revelaram detalhes intrincados sobre a vida cotidiana dos condenados habitantes de Pompéia.

Seja observando lojas e casas humildes, vendo as mansões das famílias mais ricas da cidade ou olhando os templos arruinados para os deuses, há mais para ver em Pompeia do que pode ser experimentado em uma curta visita guiada. Aqui estão alguns dos pontos turísticos para capturar o interesse e a imaginação de quem visita Pompéia.

10. Templo de Apolo

Como a estrutura mais antiga em Pompéia, o Templo de Apolo, em frente ao Fórum da cidade, ilustra as mudanças nos estilos arquitetônicos que ocorreram desde os primórdios do século 6 aC até o momento de sua destruição em 79 dC O projeto original etrusco foi alterado pelos gregos e, em seguida, expandido pelos romanos com a adição de um perímetro de colunas externas. Enquanto a maioria das estátuas de bronze originais do templo estão agora no Museu Arqueológico Nacional de Nápoles, uma cópia de Apolo e um busto da deusa Diana estão em seu lugar.

9. Casa do Vettii

Situada no setor ocidental das ruínas de Pompeia, a Casa dos Vettii é uma das vilas romanas mais bem preservadas da cidade. Renovado após o terremoto de 62 dC, apresenta um design fresco e unificado que inclui uma variedade de belos afrescos pintados com fundos pretos emoldurados em amarelo e vermelho. Nomeado em homenagem aos ricos comerciantes que viveram aqui, o complexo foi projetado para cuidar de seus ocupantes e impressionar seus hóspedes com uma série de salas de entretenimento em torno de um grande pátio central cercado por colunas. Dentro do peristilo estão estátuas de água, bacias e fontes. As esculturas e alguns dos artefatos domésticos foram todos restaurados em seus contextos originais dentro da casa para que os visitantes possam ver como a casa teria ficado antes de ser destruída pela erupção de 79 dC.

8. Lupanar

O Lupanar de Pompéia, também conhecido como Lupanare Grande, é o maior dos muitos bordéis da cidade. Localizado a leste do Fórum, possui 10 salas pequenas, onde plataformas de tijolos cobertas com colchões já foram servidas como camas. Algumas das pinturas murais no Lupanar são de natureza sexual, mas é o grafite que tanto as prostitutas quanto a clientela rabiscou nas paredes que mais surpreendem os visitantes. Dado que os romanos ricos geralmente não visitam bordéis por causa da disponibilidade de amantes e concubinas escravas, os nomes dos escritores não podem ser conectados a figuras históricas conhecidas, mas os grafites contam histórias. Em alguns casos, os escritores responderam às mensagens esculpidas nas paredes, criando um diálogo contínuo que oferece uma visão única da história de Pompeia.

7. Casa do Poeta Trágico

Localizada no extremo oeste de Pompéia, a Casa do Poeta Trágico é famosa por sua decoração artística, que inclui afrescos e mosaicos surpreendentemente grandiosos para o tamanho relativamente pequeno da casa. Um elaborado mosaico de piso mostrando atores reunindo os bastidores levou os arqueólogos a postular que um poeta ou escritor importante poderia ter vivido aqui. Também são notáveis ​​as grandes criaturas mitológicas retratadas nos afrescos do átrio. Perto da entrada é um mosaico com as palavras "caverna canem", um aviso para os visitantes que a propriedade é protegida por um cão feroz.

6. Fórum de Pompéia

O centro da antiga Pompéia era o fórum, uma ampla área retangular aberta que servia como centro político, cultural e comercial da cidade. O Fórum era o local do mercado de Pompéia, bem como sua corte, casas de banho e templos. O tribunal conhecido como a basílica tinha a mesma planta em forma de cruz adotada posteriormente para as igrejas cristãs. Enquanto apenas algumas das colunas das colunatas de dois andares que ladeavam a área aberta permanecem e os edifícios estão em ruínas, a grande escala do espaço ainda é impressionante. É fácil imaginar a agitação da atividade que ocorreu aqui diariamente durante o auge da glória de Pompeia.

5. Casa do Fauno

A maior das moradias privadas em Pompéia, a Casa do Fauno ocupa um quarteirão inteiro. Foi nessa estrutura maciça que os arqueólogos descobriram alguns dos maiores tesouros artísticos de Pompeia, incluindo o Mosaico de Alexandre, que retrata Alexandre, o Grande, pegando em armas contra Dario III da Pérsia. A casa recebeu o nome de outro achado famoso, uma estátua de bronze de um fauno. Ambos estão agora em exibição no Museu Arqueológico Nacional de Nápoles. A obra de arte mais impressionante no local é um piso de mármore em um padrão geométrico complexo.

4. Termas de Pompeia

Banhos públicos eram uma característica comum até mesmo na menor cidade do Império Romano, já que poucas casas tinham banheiros privativos. Conhecidos como thermae, os banhos públicos estavam abertos a todas as classes sociais, incluindo os escravos, embora homens e mulheres se banhassem separadamente. Eles serviram como um lugar importante para as pessoas se encontrarem, bem como para se lavar. O sistema de aquecimento dos cômodos funcionava com a passagem de água aquecida pelas cavidades da parede. Pompéia tinha três conjuntos de banhos públicos: o Stabian, o Fórum e os Banhos Centrais. Os banhos Stabian são os mais antigos banhos públicos preservados de qualquer parte do Império Romano. Localizado perto do Fórum, o Fórum Banhos são os menores banhos públicos em Pompéia, e os mais elaboradamente decorados. Os Banhos Centrais ainda estavam inacabados quando o Vesúvio entrou em erupção em 79 dC. Os banhos não tinham seções masculina e feminina separadas, o que significava que homens e mulheres teriam períodos de banho separados.

3. Spectacula de Pompeia

Construído por volta de 70 aC, o anfiteatro de Pompéia é o mais antigo anfiteatro romano sobrevivente do mundo. Foi também o mais antigo anfiteatro romano construído em pedra; anteriormente, eles haviam sido construídos em madeira. O próximo anfiteatro romano construído em pedra foi o Coliseu de Roma, criado mais de um século depois. O anfiteatro era chamado de espetáculo, pois o termo anfiteatro ainda não estava em uso. Poderia abrigar cerca de 20.000 espectadores, igual a toda a população de Pompéia. Em 59 dC, um tumulto violento irrompeu entre torcedores de Pompéia e uma cidade rival que levou o Senado a proibir mais jogos lá por dez anos.

2. Villa dei Misteri

Localizado fora de Pompéia na estrada que leva até o porto da cidade é as ruínas bem preservadas da Villa dei Misteri (Villa dos Mistérios). A Villa Romana apresenta afrescos maravilhosamente preservados que parecem retratar uma mulher sendo iniciada no culto proibido de Dionísio, o deus da decadência conhecido como Baco para os romanos. O termo "mistérios" refere-se a este rito secreto de iniciação. Contra um rico fundo vermelho, as pinturas são lindamente executadas com um notável grau de clareza e detalhamento. Com o seu grande terraço ao ar livre e quartos bem concebidos, a casa e os jardins são igualmente impressionantes.

1. Moldes de gesso

Aqueles que não fugiram da cidade de Pompeia antes da erupção foram condenados e seus cadáveres foram totalmente enterrados por cinzas quentes que caíam do céu. Em 1870, Giuseppe Fiorelli utilizou uma técnica baseada no preenchimento dos espaços vazios onde os cadáveres se decompuseram com gesso líquido para produzir moldes perfeitos das vítimas da erupção. Uma vez que o gesso endureceu, o solo ao redor foi removido e a figura foi trazida à luz. Esta técnica foi usada para produzir uma série de moldes de corpos humanos, animais e objetos. O edifício em que foram originalmente abrigados sofreu danos consideráveis ​​na Segunda Guerra Mundial e agora estão localizados em vários locais ao redor das ruínas de Pompeia, bem como no Museu Arqueológico de Nápoles. O “Jardim dos Fugitivos” abriga o maior número de vítimas encontradas em um só lugar, onde 13 pessoas buscaram refúgio em um pomar de frutas.

Recomendado

10 melhores passeios de balão de ar quente em todo o mundo
2019
Como passar 3 dias em Barcelona
2019
9 melhores excursões de um dia de Pequim
2019